8 agosto 2018
8 agosto 2018,
 0

Organizado pela jornalista e pesquisadora do Núcleo de Estudos da Divulgação Científica do Museu da Vida, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Luisa Massarani, e Eliane Monteiro de Santana Dias, gestora da Biblioteca de História das Ciências e da Saúde – Casa de Oswaldo Cruz, o livro reúne textos em que o médico, pesquisador, jornalista e educador José Reis, ícone da divulgação científica brasileira, discute as formas e possibilidades de comunicar e popularizar a ciência.

A obra baseia-se no acervo composto por cerca de 9500 itens, doado pela família de Reis à USP e posteriormente transferido para a Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz. Além de resgatar informações sobre o jornalista e cientista, o acervo resgata também a história da ciência brasileira e da divulgação científica nacional. Para o livro, foram selecionados 16 textos escritos entre 1954 e 1984, que o próprio José Reis havia guardado entre seus documentos pessoais.

Alguns desses artigos abordam questões específicas, como jornalismo científico, feiras de ciências e a relação entre divulgação científica, ensino e museus de ciência. As autoras destacam entre essas raridades, um documento histórico, pouco conhecido, com os estatutos de um museu de ciência que foi criado, no papel, em São Paulo, em 1954, cujo processo Reis participou, mas nunca chegou a funcionar.

“Chama a atenção o caráter contemporâneo das questões discutidas em seus textos, colocando em debate os objetivos da divulgação científica, porque divulgar ciência, a necessidade de os cientistas engajarem com a sociedade, o imaginário social da ciência e dos cientistas (baseados em estereótipos), entre outros tópicos. O tom pessoal permeia seus artigos, o que permite, a você, leitor e leitora, dialogar com Reis”, ressaltam as autoras, na apresentação da obra.

José Reis foi um dos fundadores da SBPC, em 1948, e seu primeiro secretário-geral. Foi ainda criador da revista Ciência e Cultura, em 1949. Teve também uma longa atuação de 55 anos no Grupo Folha – de 1947 (ainda na Folha da Manhã), até 2002, ano de sua morte, na Folha de S. Paulo. Em reconhecimento à importância de seu trabalho, o CNPq criou em 1978 um prêmio nacional que leva o seu nome, o Prêmio José Reis de Divulgação Científica, concedido a pessoas e instituições que contribuem significativamente para a divulgação científica no Brasil.

A obra foi lançada na Reunião Anual da SBPC, em Maceió, uma realização da Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, do Instituto Nacional de Comunicação Pública,  da Ciência e Tecnologia e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

A publicação também teve lançamento no dia 6 de agosto, na aula inaugural do Mestrado em Divulgação da Ciência, Tecnologia e Saúde, no Rio de Janeiro. Após os lançamentos, o livro estará disponível online para download gratuito. 

SBPC lança livro “José Reis: Reflexões sobre a divulgação científica” na 70ª Reunião Anual em Maceió